Na primeira vez, nós o fizemos, na nossa garagem, uma confraternização dos vizinhos. Todos vieram. Até o solteiro na casa branca. E todos trouxeram alguma comida para partilhar, no estilo potluck. Mas anos se passaram sem ninguém voluntariar para hospedar a segunda confraternização.

Até o sábado passado. O casal que mora na nossa frente convidou os vizinhos para comer pizza. Ele gosta muito de cozinhar. Pediu um valor de todos, e ele mesmo fez as pizzas no forno dele. Melhor nunca comi. Foi momento agradabilíssimo.

Foram cinco famílias que chegaram para a confraternização. Daquela primeira vez, sobrou só a gente. Uma família mora na nossa rua faz um mês. Outro casal, que mora ao lado, um ano. Foi momento excelente para conhecermo-nos uns aos outros melhor.

Durante as horas que passamos juntos, foi-nos possível falar sobre as verdades de Deus. Um vizinho até falou da sua visão de Deus, durante conversa sobre os males da sociedade o que precisa mudar. Falei daquela perfeita sociedade criada por Jesus.

Na nossa casa, temos convidado vizinhos e outros amigos e contatos a fazer um brunch por volta das 10h no sábado ou no domingo. (Nossa reunião dominical é às 19h30.) Quem ia recusar os pães, ovos, bacon e muffins de coco da Vicki? Não falamos muito, nesse primeiro contato, sobre as coisas de Deus, mas fazemos oração de gratidão pela comida, presenteamos a família com o livro Cristianismo original, e respondemos perguntas sobre nossa fé. Excelente introdução ao Caminho.

Jesus estava sempre na casa das pessoas. Tinha hora que ele se convidava na casa de outro: “Hoje preciso ficar na sua casa” Lc 19.10. Ele ficou com as pessoas, ia nas suas casas, para levar o perdão e a bênção de Deus.

É necessário fazermos com Jesus, tomando o tempo de conhecer as pessoas ao nosso redor, para levar-lhes a Boa Nova de salvação.

Talvez tenhamos de fazer o sacrifício de comer pizza. (Tenho intolerância a lactose.) Talvez ouçamos afirmações erradas e sintamos o cheiro nojento do álcool. (Tomamos suco de limão da Vicki.) Talvez cheguemos tarde em casa. (Chegamos à uma da madrugada.)

Quaisquer que sejam as inconveniências ou sacrifícios, façamos o esforço de conhecer, de ouvir, de falar. Pois Jesus já fez o sacrifício maior.