Tem sido nossa experiência, repetidas vezes, que quando se demonstra o erro dos progressistas entre nós, como eles gostam de se chamar, ou como a Bíblia os chama, dos falsos mestres, eles atacam como cão raivoso.

Eles falam toda hora em amor e graça. Quando alguém insiste no ensinamento da Escritura, porém, eles mostram sua verdadeira natureza.

Irmãos, não se enganem: Os falsos mestres estão no nosso meio. E enquanto eles conseguem penetrar no meio dos fiéis com suas doutrinas, eles são uns doces. Mas na hora em que são confrontados com a verdade, mostram quem são.

Digo isso por causa de mais uma experiência, não somente minha, mas de irmãos fiéis como o pregador Adam Faughn, que, por causa de um artigo dele nos últimos dias, foi chamado — por progressistas — de “o espírito do anticristo” e de policial da irmandade.

Também já fomos tachados de legalista, farisaico, rígido demais, faltando amor, faltando misericórdia — estão vendo a hipocrisia nessas táticas deles? Onde está a falta do amor, se não naqueles que trocam a verdade por uma mentira e escondem motivações escusas, como nos lembra bem o irmão Richard Mansel.

Pelo uso do termo “progressistas”, eles gostam de se descrever como aqueles que fazem progresso. E fazem mesmo. Só que seu progresso está em ir além do ensinamento de Cristo, de “avançar”, como diz a Edição Pastoral, ou progredir além do que o Senhor nos instrui nas Escrituras, 2Jo 9.

Há mandamentos contra essa tendência e exemplos desse erro. O apóstolo Paulo fez uma aplicação específica para os coríntios daquele provérbio já popular entre os cristãos: “Não ultrapassem o que está escrito” 1Co 4.6.

Desde o início das Escrituras até o fim, vigora o princípio de não acrescentar nada à palavra de Deus, Dt 4.1-2; Pr 30.6; Ec 3.14; Ap 22.18-19.

Não se deve pensar que são erros inocentes, pois há gente que pregava a verdade fazia anos, antes de mudar seu discurso. Aplica-se a estes a palavra do apóstolo Paulo em At 20.29-31a:

Sei que, depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho. E dentre vocês mesmos se levantarão homens que torcerão a verdade, a fim de atrair os discípulos. Por isso, vigiem!

E ferozes são. Atacam sem piedade, arrastam congregações para o erro e destroem a fé de irmãos para cumprir seus fins malignos.

Que ninguém lhes dê cobertura! Ai daquele que os defende! “Pois quem deseja paz a essa pessoa é seu companheiro no mal que ela faz” 2Jo 11 NTLH.

Assim disse o nosso Senhor.