líder-servoNa contagem regressiva das palavras bíblicas mais mal usadas, chegamos ao número 9.

Da literatura de negócios entrou o uso do termo “líder” para aplicar a servos no reino de Deus.

A palavra “líder” ocorre no Novo Testamento, sim, na proibição de títulos. Leiamos na versão da NTLH:

Gostam de ser cumprimentados com respeito nas praças e de ser chamados de “mestre”. Porém vocês não devem ser chamados de “mestre”, pois todos vocês são membros de uma mesma família e têm somente um Mestre. E aqui na terra não chamem ninguém de pai porque vocês têm somente um Pai, que está no céu. Vocês não devem também ser chamados de “líderes” porque vocês têm um líder, o Messias. Entre vocês, o mais importante é aquele que serve os outros. Quem se engrandece será humilhado, mas quem se humilha será engrandecido. (Mt 23.8-12)

A Edição Pastoral também traduz o termo “líder” assim. Outras versões traduzem o termo muitas vezes por “guia” ou “chefe”. O termo é usado somente aqui em todo o Novo Testamento. Seria algo equivalente a “doutor” (TEB).

Em alguns lugares como Hebreus 13.17 algumas versões traduzem “guias” como “líderes”. Este último termo implica em um autoritarismo incorente com a fé cristã, tanto que algumas versões o utilizam para a proibição acima.

Sentindo a força da palavra “líder”, muitos tentam amenizá-la criando um termo composto: “líder-servo”. O termo composto acaba sendo uma admissão em si da natureza inapropriada do termo. Se precisa ser qualificado, significa que não presta.

Uma vez que o mundo religioso já sofre do mal do autoritarismo, por que reforçá-lo pela importação de tais termos como “líder”, para justificar o uso e abuso do poder dentro do corpo de Cristo?