Há um boato circulando, por enquanto, entre um pequeno grupo, que tem chances de alastrar-se por uma população maior, de que a família Matheny esteja se preparando para mudar-se de SJCampos. Permita-me a cortar toda e qualquer especulação a respeito: não temos nenhum plano de deixar a cidade nem para sair da nossa casa.

Vamos ensinar no final do mês, por uma semana, duas matérias, num seminário em outro estado. A esposa me acompanhará. Evidentemente, o boato começou com esta notícia. Talvez houvesse conhecimento das nossas dificuldades nos últimos meses com o sustento. Ou não. De qualquer modo, já avisei os irmãos por aqui sobre o boato.

• Temos mais motivo ainda para ficar: dados preliminares do IBGE apontam um crescimento acima da média para o Vale do Paraíba (2.21 milhões) e para a cidade de SJCampos. Os joseenses devem chegar a 600 mil.

• Fátima Castellan, morando em SC, nos comunicou que a irmã Raquel de Florianópolis SC teve que se operar às pressas para câncer de mama e como ia demorar muito pelo SUS, houve necessidade de fazer no particular. A cirurgia e custos afins ficaram em torno de R$18.000. Irmãos de todo o Brasil têm contribuído, inclusive, as congregações de SJCampos e Taubaté, de modo que faltam apenas R$4.000 para que tudo seja pago. Se você ou sua congregação gostaria de ajudar, favor nos contatar.

• Fátima mencionou que ela e Savério estão morando em Itajaí SC e um irmão de Jundiaí SP está se reunindo com eles aos domingos. Ela pediu para noticiar a mudança, caso haja outros irmãos por perto.

• Continuamos assistindo o crescimento da influência maléfica, na igreja de Deus, da parte dos que pregam o ecumenismo, a falta de padrão no NT, o uso do instrumento de música na adoração e a liderança feminina na igreja. Talvez a eleição de Dilma à presidência, como a primeira mulher ao cargo, dê mais ímpeto ao último desvio doutrinário, como se precisasse. Não há como impedir esta influência, porque muitos irmãos querem essa liberdade de fazer como querem. Estes falsos mestres aparentam uma fachada de amor e graça, até que alguém levante uma objeção, com a Bíblia na mão, e aí se vê os dentes. Mas são poucos os opositores, pois mesmo os que não concordam com tais doutrinas mantêm silêncio e se fazem coniventes com o erro.

• Mencionei acima as dificuldades de sustento. Em 2009 e 2010 viajei quatro vezes aos EUA em busca de fundos para o trabalho, pelos menos duas vezes ficando uns dois meses. Com a crise econômica por lá, a reposição dos fundos ficou mais difícil e continuamos nesse processo. Essas viagens têm atrapalhado o serviço na Internet e com as publicações. Pedimos sua compreensão e suas orações.

• Frequentemente, recebo, por email e pela mídia social, como o Facebook, apelos, oriúndos de países como a Índia, por sustento, pedidos estes mascarados como convites de fazer no local uma campanha ou para ensinar, ou como pedidos de oração, quando o que querem é que lhes envie dinheiro. Meu pedido, apresso-me a dizer, é por oração mesmo.