Os pontos do meu sermão no último domingo:

Quem procura emprego encontra muitas vezes a exigência de ter experiência na área de atuação. O autor do livro de Hebreus afirma que, para ser nosso Salvador, Jesus teve, e não teve, experiência.

#1. Jesus tinha experiência — da condição humana (Hb 2.14-18). Ele se tornou semelhante aos seres humanos para poder ajudá-los.

Os filhos, como ele os chama, são pessoas de carne e sangue. E por isso o próprio Jesus se tornou igual a eles, tomando parte na natureza humana deles. Ele fez isso para que, por meio da sua morte, pudesse destruir o Diabo, que tem poder sobre a morte. E também para libertar os que foram escravos toda a sua vida por causa do medo da morte. É claro que ele não veio para ajudar os anjos. Em vez disso, como dizem as Escrituras: Ele ajuda os descendentes de Abraão. Isso quer dizer que foi preciso que Jesus se tornasse em tudo igual aos seus irmãos a fim de ser o Grande Sacerdote deles, bondoso e fiel no seu serviço a Deus, para que os pecados do povo fossem perdoados. E agora Jesus pode ajudar os que são tentados, pois ele mesmo foi tentado e sofreu. (NTLH)

#2. Jesus estava sem experiência — do pecado (Hb 4.14-16). Ele passou por tudo o que nós passamos, mas ainda sem pecado, e assim se tornou qualificado para ser nosso Sumo-sacerdote.

Portanto, fiquemos firmes na fé que anunciamos, pois temos um Grande Sacerdote poderoso, Jesus, o Filho de Deus, o qual entrou na própria presença de Deus. O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou. Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos de ajuda.

#3. Obedeçamos ao que obedeceu (Hb 5.7-9). Na sua condição humana, Jesus aprendeu a obedecer e submeter-se ao Pai. Nós temos de aprender a obedecer a ele, pois é questão de salvação eterna.

Durante a sua vida aqui na terra, Cristo, em voz alta e com lágrimas, fez orações e súplicas a Deus, que o podia salvar da morte. E as suas orações foram atendidas porque ele era dedicado a Deus. Embora fosse o Filho de Deus, ele aprendeu, por meio dos seus sofrimentos, a ser obediente. E, depois de ser aperfeiçoado, ele se tornou a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem.

Se queremos que Deus atenda às nossas orações, como as de Jesus foram atendidas, temos de dedicar-nos a Deus e obedecer a Jesus, para nossa salvação.