A igreja brasileira nos últimos 20 anos: erros, acertos e desafios

de Randal Matheny

Em honra ao vigésimo aniversário do boletim informativo “Amo Jesus” (2008), foi-me dado a escrever sobre o tópico da igreja no Brasil nesse período.

A celebração é especialmente feliz para a igreja em São José dos Campos, pois ela também celebrará em outubro seus 20 anos de trabalho no Vale do Paraíba.

Damos graças a Deus por todo bom esforço e confessamos nossa necessidade de crescer cada vez mais na graça e na sabedoria de nosso Senhor Jesus Cristo. Pelas restrições de espaço, falamos em termos gerais.

ERROS. O maior erro, no sentido estratégico, que foi feito no trabalho da igreja nos últimos 20 anos foi o de abordar o evangelismo de forma institucional, ao invés de investir no evangelismo pessoal. Dependemos da Escola da Bíblia para fazer conversões. No curto prazo, tais esforços dão bons resultados, mas não ensinam aos convertidos como evangelizar as pessoas.

A longo prazo, o evangelismo fica atrelado a um modelo impossível de imitar e a uma infra-estrutura difícil de custear. Outro efeito dessa abordagem é a tendência, já muito presente na sociedade, de profissionalizar o evangelismo. Acabou reforçando, tanto para os de fora como para a própria irmandade, a idéia de que a missão de Deus deve ser cumprida por homens treinados e qualificados acima da média.

Outro erro é o de pensar que recursos financeiros são o que mais falta na igreja.

ACERTOS. Desde o início, tivemos a consciência de sermos uma irmandade nacional e internacional. Entendemos que fazemos parte de uma família maior do que a nossa congregação. Por meio de encontros, conferências e acampamentos, desenvolvemos um espírito de fraternidade e amor entre irmãos de outros estados e regiões.

Talvez por isso, desenvolvemos a hospitalidade e a generosidade entre nós e uma preocupação sadia com o bem-estar dos irmãos e o crescimento da igreja por toda parte.

DESAFIOS. Nosso maior desafio, que já estamos enfrentando, é preservar a sã doutrina na igreja. Falsos mestres querem redefinir a igreja como uma denominação, tornar a graça em libertinagem e abrir as portas para qualquer um que diz ter Jesus como Senhor.

Precisamos de irmãos dispostos a levantar a voz em prol da verdade.

Outro desafio é intensificar mais ainda o evangelismo e a pregação do evangelho em cada vez mais lugares onde ainda a verdade bíblica não tem sido proclamada.

RESULTADO. Temos o tesouro do evangelho em vasos de barro. Deus usa nossos esforços imperfeitos para trazer aos obedientes a salvação completa. Glória ao Senhor por isso!