de Randal Matheny

Num fórum na Internet, alguém perguntou recentemente quais as nossas palavras favoritas na língua grega. Imediatamente, três termos vieram à minha mente: Salvador, misericórdia e zelo.

1. Salvador (grego: soter). O Novo Testamento usa o verbo “salvar” para a atividade humana na área da salvação eterna. Pedro disse aos ouvintes no dia de Pentecoste que deviam se salvar (Atos 2.40). Paulo também disse a Timóteo que pela doutrina “você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem” (1 Timóteo 4.16). Judas também não sente restrições para usar o termo salvar para nossos esforços em prol da salvação dos outros (v. 23).

Mas o termo “Salvador” é usado somente para Jesus e para Deus. Exemplos são Lucas 1.41, João 4.42, Atos 5.31, 1 Timóteo 1.1 e Tito 1.4. Nós salvamos a nós mesmos e os outros, mas apenas em sentido secundário. Quem faz o trabalho real é o Senhor. Nossos esforços são incapazes de nos salvar. Ele é Salvador e nenhum outro! (Atos 4.12).

2. Misericórdia (grego: eleos). Deus é justo e tudo o que faz satisfaz sua justiça. Ao mesmo tempo, ele nos estendeu a misericórdia, fazendo o que não tinha obrigação de fazer, para ser nosso Salvador. “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia (…), deu-nos vida com Cristo” (Efésios 2.4-5 NVI).

3. Zelo (grego: zelos). Todo mundo fala hoje sobre a “paixão”. Zelo é a paixão cristã. Infelizmente, os pentecostais confundem a emoção momentânea com o zelo. O zelo se mostra na obediência constante ao Senhor, ausentes ou não os sentimentos, pois esta paixão pelo Senhor nos consome, da mesma forma que consumiu nosso Senhor Jesus Cristo (João 2.17). O zelo tem de ser orientado pelo conhecimento (Romanos 10.2). Quer dizer que não basta a sinceridade e a intensidade emocional.

Se me perguntar amanhã, talvez eu pense em outros termos gregos que me animam muito. Mas hoje estes três me dão bastante ânimo no Senhor para serem chamados de favoritos.
_______

Escrito originalmente para o boletim das congregações em Guaraulhos, “Amo Jesus”.