É uma longa história o que levou os israelitas a invadir o território de Benjamim e investir contra a cidade de Gibeá (ler Juízes 19). O Senhor, porém, aprovou o ataque.
No meio da narrativa, depois de duas tentativas fracassadas, ambas com a aprovação divina, aparece essa declaração:

Os israelitas bateram em retirada diante de Benjamim, pois confiavam na emboscada que tinham preparado perto de Gibeá. Juízes 20.36b

1. Confiaram no plano.

Esta foi sua terceira tentativa contra a cidade de Gibeá e a primeira a ter um plano de ataque, pela narrativa. Ao invés de chegar e travar a batalha diretamente com os benjamitas, eles armaram uma emboscada. Alguns ficaram escondidos enquanto outros se aproximaram da cidade à plena vista dos benjamitas. Quando estes saíram para atacar, eles bateram em retirada para atraí-los longe da cidade. Enquanto isso, os soldados escondidos saíram, entraram na cidade e a destruíram. Acertaram que quando os soldados na cidade fizessem subir uma grande nuvem de fumaça, os “covardes” voltariam para atacar os benjamitas. O plano deu certo, porque os soldados confiaram no plano, tanto que correram perante os benjamitas e correram o risco de dar tudo a perder. Mesmo assim, foram 30 israelitas mortos pelos seus inimigos.

Precisamos nós também de um bom plano e precisamos confiar no plano levando-o a cabo mesmo correndo os riscos que ele traz.

2. Confiavam nos seus irmãos.

Foi grande risco bater retirada perante um exército que tinha os derrotado antes por duas vezes. Se os da emboscada não cumprissem sua parte, teria sido impossível parar, re-organizar-se e enfrentar os benjamitas que vinham com toda a força.

Precisamos reunir gente em nossa volta com quem podemos trabalhar e em quem podemos confiar a cumprir sua parte. Na igreja de Deus, encontramos os santos que serão verdadeiros companheiros e colaboradores.

3. Confiavam no Senhor.

Depois de perguntarem duas vezes e receberem resposta positiva para ir à guerra contra Gibeá, e depois de sofrerem duas derrotas, os israelitas estavam perplexas. Mais que isso, choraram e jejuaram perante o Senhor. Na terceira vez ele lhes disse que daria a cidade nas suas mãos. A essa altura, houve séria questão se eles iriam confiar ou não no Senhor para tomar a cidade.

Quando o Senhor faz uma promessa, é isso mesmo que quer dizer. Pode parecer que estamos sendo derrotados, mas ele escolherá o tempo para nos entregar a vitória. Ele pode nos estar disciplinando ou testando. Cabe a nós perseverar.