de Randal Matheny

narigudoEncontrei o email quase por acaso, num site de arquivo que uso para algumas listas minhas. O título me chamou a atenção e o texto mais ainda. A autora da mensagem disse:

“Creio que ela [a religião] é algo que você adapta para amoldar a seus próprios interesses. A religião deve ser uma aventura divertida de auto-exploração”.

Segunda ela, a religião é uma ferramenta para servir a própria pessoa, com o propósito de descobrir mais sobre si mesmo.

Conforme essa perspectiva, a religião funciona como mais um produto para gastar no ego e alimentar o egoísmo.

Jesus mudou para sempre o significado da religião. Mostrou que, ao invés de servir interesses próprios, como aqueles que ficaram com dinheiro destinado ao cuidados dos pais clamando “corbã” (Mc 7.10-13), a verdadeira religião entregava a própria vida em prol do próximo (Mt 20.28).

A verdadeira religião controla a língua para não machucar os outros e cuida dos mais necessitados (Tg 1.26-27).

A verdadeira religião ouve e obedece a palavra de Jesus (Mt 7.21), ao invés de cortar aqui, cortar ali, para formar uma filosofia pessoal que lhe agrada.

A verdadeira religião coloca Deus no centro das atenções, ao invés da pessoa.

Os “tempos penosos” chegaram, pois os homens são “amantes de si mesmos” (2Tm 3.1-2). Assim, é impossível cumprir os dois primeiros mandamentos, de amar a Deus acima de todas as coisas (inclusive nós mesmos), e o próximo como a ti mesmo.

Como é que você acha a religião deve ser? Melhor, quem é que você acha a religião deve servir? Deus, ou você?