Nota: Este artigo foi publicado como parte do Alcance Notícias em 31/07/00.

de Randal Matheny

AviãoNo último mês, a igreja em São José dos Campos recebeu nada menos de três visitas de irmãos a serviço de suas empresas. Vindo de Minas Gerais, Paraná e Ceará, eles ficam durante um período de serviço temporário e depois voltam para casa.

Trabalham tais irmãos em condições diversas, mas muitas vezes sofrem grandes pressões. Fazem cursos intensivos, projetos especiais ou serviços específicos que exigem muito e consomem a maior parte de seu tempo.

O que a igreja pode fazer por esses irmãos, para que não sejam prejudicados nessas situações atípicas?

Suas congregações precisam armá-los com os endereços e horários da igreja mais próxima de sua estadia temporária. Contatos feitos mesmo antes de viajar ajudam a acertar os detalhes.

Às vezes, alguém liga para o Alcance pedindo informações de igrejas no Brasil ou no exterior em cima da hora. Pensa na questão espiritual por último. Já está com passaporte, visto e passagem na mão, mas não sabe nada sobre como encontrar seus irmãos na fé. Que vergonha!

A igreja local pode ajudar irmãos em viagem a serviço a valorizar o contato fraterno.

A igreja receptora de tais irmãos precisa fazer mais do que estender um aperto de mão. Na primeira visita, ela poderá pedir informações de estada, meio de contato, horários disponíveis para visita e outros dados que permitirão um contato mais extenso. Muitas vezes, a igreja terá de tomar a iniciativa, visto que o irmão pode estar concentrado no seu serviço.

Pena se um irmão viaja a serviço e nem ele nem a igreja tem a oportunidade de um contato enriquecedor e encorajador. Façamos mais para que estas oportunidades custeadas pelas empresas sejam aproveitadas para o Senhor!